Dominação e suas Fases

No Reino de K@, às vezes, proíbo minhas escravas de ter qualquer contato comigo. Por conta disso, resolvi entrar na sala de chat sobre sadomasoquismo, coisa que não fazia há um bom tempo.

Gosto de observar o comportamento das pessoas e, desta vez, o meu foco foram os dominadores. Algumas atitudes chamaram a minha atenção:

• o deslumbre – natural àquele que descobrem o tema. Entram na sala ávidos por viver suas fantasias, sem sequer conseguir explicar o que estão buscando. É incontável a quantidade de pessoas que procuram sexo fácil, sob a desculpa de se autointitularem BDSMers;

 

• o desespero – famoso momento de se prometer tudo: juras de exclusividade, amor eterno, casamentos, mudança de cidade, tudo em nome de não se perder uma possível, provável, quem sabe lá... submissa. Vinte minutos de papo e já não se sabe mais quem está no controle e quem está sendo controlado;

• a indefinição – aquele que fica na sala por um tempo sem conseguir sequer emendar meia dúzia de frases com uma submissa e logo muda de lado e se oferece para ser escravo. Nada contra, mas poderia, minimamente, sair da sala e voltar com um nick mais apropriado. Esse pequenino detalhe faz toda diferença!

Observando os mais experientes, aqueles que se intitulam verdadeiras autoridades no assunto, é triste observar comportamentos tão pouco recomendáveis, tais como:

• assediar as escravas de coleiras. Melhor nem comentar;

• julgar ter direitos sobre as amigas de sua submissa. Acha que não acontece? Estou cansado de escutar relatos de “dominadores” que entram no MSN de suas escravas e conversam com as amigas delas com o objetivo de se autopromoverem;

• ordenar que suas escravas procurem irmãs de coleiras. Basta observar, para encontrar escravas em busca de irmãs de coleira por ordem de seu dono. Dono? Será?

• infernizar a vida de escravas, fazendo as mais descabidas ameaças, quando percebe que a perdeu;

Quando iniciei, talvez tenha vivido alguma das três primeiras situações, o que considero razoável para um iniciante. Demorei um pouco para entender que no BDSM não há necessidade do uso de máscaras e que o importante é serem transparente para se viver as fantasias da forma desejada. Cabe a quem domina perceber onde está o seu prazer, torná-lo o mais claro possível à submissa e, principalmente, entender que se ela não aceitar é porque ela não conseguirá viver o que deseja. Por outro lado, se aceitar tudo não passa de apenas uma possibilidade, até que de fato a relação dê certo. Todos podem viver o que deseja, entretanto é facultado a ela escolher ou não ficar ao nosso lado.

Já aos Tops "que se acham", eu não tenho nada acrescentar, afinal, lamentavelmente, eles se autodenominam sabedores de tudo!


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes