Como nasce uma submissa

Nós, escravas e submissas, costumamos dizer que "nascemos escravas" ou que "somos submissas de alma" e que isso vai facilitar a vida com o DONO. Entramos na relação, certas de que tudo vai dar certo e que cumprir ordens, passar por privações e provações será fácil já que "nascemos para isso". Mas não se iludam, nem sempre "querer é poder".

Se levarmos em conta que a grande maioria das relações são vividas à distância e através de um contato virtual, é necessário que se tenha o firme propósito de viver a relação com seriedade e determinação, já que nem sempre existe a presença física. Devemos ter em mente que estamos vivendo por opção própria o papel que escolhemos.



Dia desses, visitando um Blog observei que uma leitora baunilha dizia mais ou menos assim: "Como é possível alguém obedecer a ordens de verdade, através do virtual? Como o Dominador vai se sentir seguro de que a escrava O está servindo e cumprindo à risca às Suas ordens?" Entre outras coisas ela dizia também que não acreditava no SM e que era impossível que nos dias de hoje, com um mundo tão liberal, alguém sentir prazer em ser usado por outra pessoa, cumprir ordens, passar por privações e até mesmo gostar de apanhar e sentir dores... embora admitisse que um pouco de fetiche deixasse a relação mais emocionante... rs!

Isso me fez refletir sobre algumas coisas que sempre encontro na internet. Por exemplo, a mentira. Por mais que eu tente entender, não consigo ver onde existe prazer numa relação em que a escrava não viva sua submissão honestamente. Mentir, enganar o Dono, se passar por quem não é... e só para citar alguns exemplos. É comum encontrarmos escravas portando coleiras respeitadas que alardeiam sua submissão e que na verdade vivem uma mentira.

A mim, não me parece nada prazeroso viver algo dessa forma. O que leva uma pessoa que optou em ser escrava e que porta uma coleira por mero desejo seu, mentir, enganar ou viver de aparência. Se for submissa e vivo aos pés de meu DONO, como não vou cumprir as ordens determinadas por Ele? Que graça tem eu vir a público explanando todas as minhas vivências, escrever poemas, textos alardeando minha "linda" submissão, sem passar pelos Treinamentos que são necessários para o meu crescimento?

Muitos dizem que o que se vive no SM é um teatro. Vive-se a Dominação/submissão no papel que escolhemos viver, mas que em volta a vida continua e o mundo lá fora nos espera. Em alguns pontos posso até concordar, mas para mim, viver a submissão é pertencer sim de "corpo e alma" a meu DONO. É me entregar ao prazer que tenho em pertencer a Ele. Quando estou cumprindo Suas ordens, sofrendo as privações que Ele me impõe, me sinto submissa de verdade e aí para mim acaba o teatro e começa a realidade. Que prazer teria eu senão cumprisse as ordens?...se mentisse sobre elas? Aí sim seria só teatro.

Através das privações, provações, tarefas e castigos, o Mestre vai me formando. Me descobri submissa, mas não seria uma se não estivesse aos pés do DONO, servindo-O, cumprindo Suas vontades e desejos. Entendo que é assim que Ele me transforma a cada dia. Os caminhos que sigo como escrava são traçados pelo meu Mestre e Senhor e trilho esses caminhos com a certeza de que é para o meu bem.

O que faz uma escrava crescer aos olhos do Dono, senão as suas próprias vivências? Cada limite que avanço... cada obstáculo que supero mais forças adquiro para continuar. Os desejos de meu DONO são os meus. A Ele me entrego para que me molde como desejar. Me ajoelho diante de Sua sabedoria e vontade todos os dias e é isso que me faz sempre muito feliz!!!

por: karla { K@ }


serva ylena Gravatar   Website 08.03.2017 12:55
Comentário Que texto enriquecedor. Sempre cresço, me aperfeiçoo e me deleito quando aqui entro.
 
  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes