Os Eunucos

Os Eunucos (homens que eram castrados de diversas formas e por vários motivos), surgiram em várias civilizações e era uma forma de manter os homens cativos e escravos e com isso arrumar mão de obra gratuita. Na China, a castração era usada como forma de punição..os castrados eram analfabetos e usados para diversos trabalhos braçais.

 

Com o tempo, passaram a controlar a burocracia, fazendo fortunas, conseguindo poder e prestigio; os estudiosos dizem que durante pelo menos por 3 dinastias, a China foi governada por eunucos. E com isso, para fugir da probreza, muitos se castravam por opção própria. 

 

Os eunucos ficaram mais conhecidos como os "guardiões" dos palácios dos Sultões. Na condição de castrados, não ofereciam riscos às esposas e concubinas que viviam nos haréns. Mas eles eram muito mais que guardiões das mulheres..Eles exerciam todo tipo de função, desde zeladores de mesquitas até administradores e professores.

 

Ainda meninos, eram capturados nas selvas africanas, geralmente no Sudão, e vendidos a mercadores de escravos que providenciavam a castração. Essa mutilação era feita de modo bastante rudimentar e poucos sobreviviam, tornando-se, por isso, mercadoria valiosa. Os eunucos, assim como as escravas, eram vendidos nos mercados árabes, indo, depois, parar nos haréns dos palácios. Seres híbridos, meio homem, meio mulher, serviam os eunucos de ligação entre o harém principesco e o mundo exterior. Quando ingressavam no harém, tanto os eunucos como as mulheres, recebiam um novo nome. A vida anterior ficava para trás. Outra vida, outro nome.

 

Para assegurar a ligação entre o harém principesco e o mundo exterior, foi necessária uma função de mediação, assumida pelos eunucos. Os eunucos brancos eram guardiões da porta exterior do harém. Os negros, originários do Sudão, guardavam a porta interior. . Os eunucos otomanos apresentavam outra particularidade: à diferença dos homólogos persas, "totalmente cortados", a castração removia-lhes apenas os testículos, e não o pênis. Isso explicaria por que tantas intrigas amorosas se tornaram conhecidas no harém da Sublime Porta, e por que os eunucos otomanos desempenharam papel tão importante na política turca.

 

Seu papel era múltiplo: mensageiros entre as mulheres que viviam fora do harém e as que ali residiam, também faziam a ligação entre o sultão - quando este decidia não deixar o harém - e seus vizires. O chefe dos eunucos negros ocupava um lugar privilegiado entre eles: autorizado a aproximar-se do sultão a qualquer momento e influenciando-o com as informações que detinha, dispunha do poder de apressar ou retardar uma entrevista com um dignitário ou embaixador. Além disso, era extremamente rico, pois administrava as finanças do harém, bem como as das mesquitas imperiais. Exercia assim o cargo de chefe de uma força clandestina considerável, cujo apoio era muito procurado. Por fim, estava incumbido de guardar os príncipes, enclausurados em pequenos apartamentos pelo resto de seus dias, salvo em caso de necessidade. 

 

Enfim, cabia aos eunucos todo o andamento do harém. Todas as mulheres eram cuidadas e atendidas pelos eunucos. A alimentação, a parte estética de tornar atraente para o sultão, a escolhida do dia. Os sultões muitas vezes tornavam-se confidentes das mulheres do harém. Mas nem sempre tudo corria na mais completa harmonia, já que as intrigas se faziam bem presente, por causa do ciume que acontecia entre eunucos e as mulheres. 

 

Existiam inúmeras formas de castração mas a que mais me chamou a atenção foi este método que era usado na China..E por isso com certeza surgiu a expresão: Tortura chinesa. No século 19, o escritor inglês George C. Stent compilou antigos textos chineses e descreveu, pela primeira vez, os métodos de extração de genitais na China imperial. Embora a prática tenha surgido há mais de 2 mil anos, este relato concentra-se nos métodos desenvolvidos no final da dinastia Ming, a partir do século 16.

 

1. Torniquete

Amarrado a uma cadeira especial, o paciente tinha a parte inferior do ventre e as coxas enfaixadas com bandagens bem apertadas. Além de adormecer o local, isso reduzia a hemorragia

 

2. Momento relax

Quase sem circulação sangüínea da cintura para baixo, o paciente era anestesiado com uma xícara de ópio, extraído da papoula

 

3. Banho de pimenta é refresco

Os genitais eram banhados com uma espécie de chá de pimenta. A ardência e o formigamento funcionavam como anestesia local.

 

4. Golpe baixo

Dois auxiliares mantinham as pernas do cara separadas, enquanto o cirurgião fazia a extração. Com um corte reto, eram retirados o pênis e os testículos.

 

5. Bisturi

A operação era feita com uma lâmina curva de cerca de 10 centímetros afiada como uma navalha. A incisão inicial na epiderme era feita com a ponta da faca. Músculos, veias e outras estruturas eram secçionadas com a parte mais grossa da lâmina.

 

6. Tampax

Um tampão de metal, geralmente de cobre, com 3 cm de comprimento e 1 cm de diâmetro, era introduzido no canal da uretra para controlar o sangramento

 

7. Band-aid

Depois da extração, os cortes eram recobertos por emplastros de papel de arroz embebidos em água 

 

Recebi a tarefa de fazer uma pesquisa sobre os eunucos e me surpreendi em encontrar tantas coisas interessantes sobre isso. Fiquei impressionada com as formas de castração da época. Pode-se imaginar que alguém sobreviva a tanto sofrimento e tortura? Devemos levar em conta a precariedade da medicina e da assepsia da época e a grande maioria dos casos se tornavam fatais por conta das inumeras infecções.. 

 

por: karla { K@ }


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes