Escrava kassia

Em maio, criei a Cerimônia da Vitória. Uma forma de homenagear a entrega e a submissão da minha escrava kassia. Certamente uma das mulheres mais submissas com quem eu tive a oportunidade de conviver. Ao contrário da sua aparência doce e obediente ela era muito geniosa e foi exatamente essa contradição de valores e atitudes que me fascinou.

À época, eu começava a falar da possibilidade de criar no Reino o papel da Sub Genérica. Um papel que se caracterizava por ser mais restritivo do que o da Classe de Preto.

Cheguei a brincar, dizendo que ela seria a primeira Sub de Roxo do Reino e que suas tarefas seriam as mais difíceis, para que pudesse errar mais e como consequência ficaria roxa de tanto ser castigada.

Brincadeiras à parte, esse era um desejo meu e tinha dúvida se conseguiria torná-lo realidade. No entanto, com sua submissão, em diversos momentos vivenciou este papel, que mais adiante viria a se concretizar no Reino, no papel da kriada.

A idéia foi a mais trabalhada e difícil de ser implementada na história do Reino de K@. Depois de dois anos de tentativas, quando consegui criar o papel da kriada, a kassia não estava mais no Reino. Nossa relação durou 2 anos e meio e com o término, infelizmente, acabamos nos afastando. Contudo ela foi a escrava que inspirou a criação do papel pelas situações que vivenciou no Reino.

A você minha escrava, o meu muito obrigado pelo tempo em que esteve aqui. Desejo do fundo do meu coração que você esteja bem.

 

 
História Reino de K@ 2008

A foto registra um momento ímpar de nossa relação. Resolvi cobrar alguns erros que ela tinha cometido de uma forma um tanto diferente. Ela me pediu para ir ao Clube Dominna com algumas amigas e nessa ocasião eu não poderia estar presente. Durante a festa, eu liguei para ela e mandei que caminhasse pelo salão por duas horas, descalça e na ponta dos pés sem tocar o calcanhar no chão. Depois de realizado o castigo, deveria tirar uma foto e me enviar para que eu pudesse verificar. Obviamente ela cumpriu com louvor. A submissão dela foi bastante comentada. Recebi vários elogios. 

 


 

Cerimônia da Vitória

Toca-se o sino para marcar o início da Cerimônia...

A escrava homenageada, vendada e amordaçada é conduzida pela Sub de Vermelho...

Ajoelha-se e beija os pés de seu Dono em sinal de sua submissão e permanece ajoelhada


A Cerimônia
Minha escrava, estamos num momento solene e você agora é a minha estrela principal. Quero que preste a atenção e guarde em seu koração o significado do que tenho a lhe dizer:

“A liturgia é que dá brilho e ênfase às práticas BDSM, ela possibilita uma imersão em nossas fantasias. Por esta razão ela nos é tão útil e torna nossas vivências únicas”.

Servindo-me dela eu criei “A Cerimônia da Vitória”. Um momento especial dedicado a homenagear à escrava que como você tem sido um exemplo e consegue viver a plenitude a minha fantasia, que sempre se baseou em ter diferentes classes de escravas, onde diferentes papéis são vividos por elas.

Ao entrar no Reino, todas optam por entregar suas vidas aos caprichos do seu Dono. Poucas conseguem fazer com que sua opção se torne realidade. São muitas privações, difíceis provações, grandes provocações que só as mais fortes conseguem vencer, pois elas sim são capazes de vencer os desafios e se renovar sempre diante de cada situação. Estão sempre lutando contra os seus limites com o objetivo íntimo de fazer feliz e satisfazer àquele a quem ofertou a sua total entrega.

Por isso escolhi um texto em especial para marcar este momento. Um texto que fala de força, determinação e vontade de viver o que realmente deseja.

A Sub de Vermelho, lê o texto ...



O VÔO DA ÁGUIA

A águia, a ave que possui a maior longevidade da espécie, chega a viver 70 anos. Mas, para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma séria decisão.

Aos 40 anos, está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar as suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva, apontando contra o peito. As asas estão envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil! Então, a águia só tem duas alternativas: morrer... ou ... enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias.

Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo, sem contar a dor que terá que suportar

Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas velhas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. E só após cinco meses sai para o famoso vôo de renovação e para viver então, mais 30 anos.

Em nossa vida, muitas vezes temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, e outras tradições que nos causam dor.

Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz.

Assim como uma águia é você minha kassia, pelas mais diversas provações que você já viveu ao meu lado por toda a sua dedicação fiel e cega ao meu Domínio, que a escolho como guardiã da classe de preto. A você eu confio a tarefa de representar parte importante da minha fantasia.

 

Confirmação da entrega

O Mestre tira delicadamente a venda e a mordaça da escrava e pede que ela que se vire e levante o pé esquerdo e o exponha para ele.

E pergunta a ela: é sua vontade continuar no Reino me servindo conforme os meus desejos e assumir a partir de agora o papel de guardiã da “Classe de Preto”? Se for responda: sim Mestre.

Ele pega um alfinete e fura o dedo do pé esquerdo da escrava como o gesto que marca a confirmação da entrega dela à vontade soberana de seu Mestre. Ele aperta o dedo e deixa cair uma gota de sangue sobre uma pétala de rosa branca.

Em seguida o Mestre derrama cera de vela sobre o dedo da escrava e sobre a gota de sangue na pétala, para que a cera possa selar o vínculo da entrega.

 

Ato de Sabedoria

o Mestre derrama óleo aromático na cabeça da escrava e diz:

Minha escrava esse óleo simboliza a sua sabedoria, o seu discernimento em aceitar a sua condição conforme a minha vontade. Que você continue a cuidar dos meus desejos como a um tesouro precioso.


A Simbologia

O Mestre entrega à escrava uma águia de bronze envolto em um lenço preto, para que ela a traga consigo sempre e lembre-se de que essa peça simboliza o ato de se renovar a cada dia e diz:

Minha escrava, eu entrego a você esta águia para que ela seja sempre a lembrança de do seu papel de “guardião” das minhas fantasias. Símbolo também de toda minha gratidão e reconhecimento por tudo que você já viveu ao meu lado. Quero que você se torne, como “sub de preto”, a referência e o bom exemplo para todas as minhas escravas que hoje estão no Reino e as que ainda hão de vir.

O Mestre manda a “sub de preto” representante das demais escravas beije a mão escrava-guardiã como reconhecimento do papel que ela agora ocupa.

O Mestre toma a escrava-guardiã pelas mãos, ajuda que ela se levante e beija-a em sinal de reconhecimento da sua kaminhada

Toca-se o sino para marcar o fim da Cerimônia...


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes